Quem paga pelo fluxo de dados via P2P na internet?


Estudo revela que o formato mais popular de compartilhamento de dados na web não é oneroso para os grandes fornecedores de internet.

Se você é um usuário assíduo de internet e tem o costume de baixar arquivos, provavelmente já fez uso de alguma rede P2P. Os mais “antigos” vão se lembrar do Kazaa, o primeiro grande nome do gênero, mas foi o protocolo BitTorrent o mais eficiente de todos – e um dos mais utilizados na atualidade – para a troca de arquivos entre internautas.

Há vários programas que suportam esse protocolo, além de uma variedade também grande de serviços que hospedam e indexam arquivos torrent, rastreando-os para que seu conteúdo seja enviado entre todos os usuários. The Pirate Bay, o mais famoso de todos, já teve, inclusive, uma série de problemas legais envolvendo a pirataria.

Quem paga a conta?

Que o tráfego de dados na web devido ao compartilhamento de dados é imenso, ninguém duvida, mas o que talvez poucos imaginassem é que quem “arca” com as despesas do volume de dados não são os grandes fornecedores de acesso à internet, os ISP (sigla em inglês para Internet Service Provider).

Leia mais deste post

%d blogueiros gostam disto: