Memórias: quais os tipos e para que servem


Apresentamos a memória RAM, um componente que você já conhece e que sabe até para o que serve. Todavia, ela não chegou agora e parte da história ficou escondida no passado. Hoje revelaremos um pouco sobre os tipos de memórias que apareceram ao longo dos anos.

RAM e DRAM

Foi em algum ponto na década de 50 que surgiram as primeiras ideias de criar uma Memória de Acesso Aleatório (RAM). Apesar disso, nosso papo começa em 1966, ano que foi marcado pela criação da memória DRAM (invenção do Dr. Robert Dennard) e pelo lançamento de uma calculadora Toshiba que já armazenava dados temporariamente.

Memória DDR3 da Corsair (Fonte da imagem: Divulgação/Corsair)

A DRAM (Memória de Acesso Aleatório Dinâmico) é o padrão de memória que perdura até hoje, mas para chegar aos atuais módulos, a história teve grandes reviravoltas. Em 1970, a Intel lançou sua primeira memória DRAM, porém, o projeto não era de autoria da fabricante e apresentou diversos problemas. No mesmo ano, a Intel lançou a memória DRAM 1103, que foi disponibilizada para o comércio “geral” (que na época era composto por grandes empresas).

A partir da metade da década de 70, a memória DRAM foi definida como padrão mundial, dominando mais de 70% do mercado. Nesse ponto da história, a DRAM já havia evoluído consideravelmente e tinha os conceitos básicos que são usados nas memórias atuais. Leia mais deste post

Corsair lança nova SSD de 90 GB


Corsair é conhecida por ser fabricante de memória RAM, pendrives e cartões de memória de altíssima qualidade. Recentemente, a empresa anunciou uma nova SSD para as linhas Force 3 Series e Force Series GT com capacidade de armazenamento de 90 GB. O objetivo desse modelo é ser o intermediário entre os de 60 GB e de 120 GB.

SSD Corsair (Foto: Divulgação)
SSD Corsair (Foto: Divulgação)

A nova SSD da Corsair utiliza o controlador SandForce SF-2281 e interface Serial ATA-600. A diferença entre os dois modelos é que o da Force Series 3 usa memória flash NAND assíncrona, enquanto a Force Series GT utiliza a tecnologia sincrônica. A empresa afirma que esse modelo tem um custo benefício muito maior quando comparado com os anteriores. Leia mais deste post

Processadores – O dicionário de A a Z


Dúvida sobre algum termo? Nosso glossário está recheado de informações para você saber tudo sobre os processadores.

A história dos processadores começa na década de 70, com o lançamento da primeira CPU x86. De lá para cá, muita coisa mudou. Novas empresas adentraram o mercado, tecnologias inovadoras apareceram, outros tipos de processadores foram desenvolvidos e muito mais.

E os acontecimentos não param por aí. A evolução dos processadores continua em um ritmo acelerado, tanto que é muito difícil acompanhar todas as novidades e saber o que cada novidade significa. Leia mais deste post

Fontes: o que você precisa saber sobre especificações


Conheça alguns dos principais termos, a diferença entre valores e a importância de atentar para alguns detalhes na hora de adquirir uma fonte de alimentação.

Como o próprio nome sugere, a fonte de alimentação é o componente de onde surge a energia necessária para que as demais peças do computador funcionem. Até aí nenhum segredo. É possível ainda que você tenha uma noção de que a fonte de alimentação desenvolve o importante papel de transformação da energia.

Contudo, você sabe para que serve o PFC, a eficiência, os conectores e tantos outros detalhes de uma fonte? Se você respondeu não para essa pergunta, então recomendamos que leia nosso artigo especial. O Tecmundo elaborou um resumo recheado com as principais informações sobre o assunto. Sendo assim, partamos do aspecto principal: a potência.

Potência

A especificação mais importante de uma fonte é a potência. Normalmente indicada no nome do produto, ela relata a quantidade de “poder” que é fornecida. A potência é medida em Watts (W) e serve para você ter noção de quantos componentes podem ser alimentados.

(Fonte da imagem: Divulgação/OCZ) Leia mais deste post

Como aumentar a taxa de transferência do pendrive


Correção liberada pela Microsoft elimina limitações do Windows 7 que desaceleravam o envio de dados para dispositivos USB.

A Microsoft liberou na última sexta-feira (12 de agosto) uma atualização para o Windows 7 e Windows Server 2008 R2 que aumenta a velocidade de transferência de dados em dispositivos USB. Devido a restrições dos próprios produtos da Microsoft, a velocidade com que os dados eram enviados sofriam diversas restrições quando comparados a outros sistemas operacionais.

A atualização, identificada pelo código kb2581464 adiciona uma nova característica que permite atualizar a velocidade de transferência desse tipo de dispositivo. Segundo a Microsoft, o tamanho máximo de transferência passa de 64 KB para 2 MB através do driver Usbstor.sys. Para instalar a novidade, é necessário realizar seu download através da página oficial da empresa. Leia mais deste post

7 mitos da informática desmitificados


Algumas lendas, além de fama, levam os usuários a tomar algumas atitudes precipitadas. Descubra aqui o que vale ou não vale no dia a dia com o computador.

Ultimamente, a internet aparece como o tira-dúvidas oficial de milhões de pessoas. Por ser tão cômodo pesquisar na rede, já virou costume dos usuários exigirem que um buscador seja capaz de desvendar todas as verdades do mundo em poucos cliques.

Até aí, tudo bem. O problema é que, como não há nenhuma forma de regulamentação, a web também se torna um terreno bastante fértil para a criação e disseminação de diversos mitos — e a situação ainda piora quando falamos sobre informática.

1. Programas maiores e mais famosos = melhores

Certos softwares viram referência em seus campos de atuação e passam a ser cultuados incansavelmente por público e crítica — é o caso do Photoshop como editor de imagens e do Word como processador de texto. Realmente, a maioria dos nomes que chegam lá têm cacife e mérito para ocupar tal lugar privilegiado.

(Fonte da imagem: Loyal Kng)

Contudo, dependendo do nível e dos objetivos do usuário, ir atrás ou até pagar por um software que tem fama pode acabar sendo um tiro no escuro. Digamos que um funcionário precisa tratar fotos de eventos para enviar à galeria de um site: ele precisa necessariamente do Photoshop para realizar a tarefa? Leia mais deste post

O que você precisa saber para montar um computador no segundo semestre de 2011


Separamos algumas dicas para você escolher certo ou aguardar por novidades que vão aparecer na segunda metade do ano.

Metade do ano se passou. Nesse tempo, a informática fez grandes avanços. Uma configuração planejada no primeiro semestre já não faz muito sentido agora, tanto pelo preço quanto pelo desempenho.

Quando falamos em montar um PC, a máquina ideal não existe, afinal, o investimento e os propósitos de cada usuário é que vão definir a configuração perfeita. E considerando os atuais componentes, uma configuração de baixíssimo valor já satisfaz usuários que pretendem trabalhar com aplicativos simples.

Propósito do artigo

Hoje, vamos abordar alguns aspectos importantes dos principais componentes, assim você pode fazer a escolha certa e adquirir um computador adequado às suas necessidades. A maior parte deste artigo é destinada para usuários que pretendem montar uma configuração, pois na hora de comprar PCs de marcas conhecidas (como HP, Positivo, Space BR), não há muitas chances de escolha.

Considerando a realidade brasileira, sempre devemos lembrar que temos um orçamento limitado. Sendo assim, nossas dicas não serão focadas nos componentes mais potentes do mercado. Até porque citar os componentes mais “fortes” e relatar que eles rodam qualquer aplicativo é uma ideia um tanto quanto óbvia. Assim, separamos alguns aspectos importantes a serem observados na hora da compra. Leia mais deste post

%d blogueiros gostam disto: